Toyota 50 anos Toyota 50 anos


50
anos,

a Toyota veio para ficar consigo.

Em 1968, Salvador Caetano trouxe para Portugal a Toyota e a vontade de fazer história. E fez. 50 anos depois, fazemos parte das histórias de muitos portugueses.

5 factos pouco óbvios para 5 décadas de Toyota em Portugal

Ao longos destes 50 anos em Portugal, a Toyota tem vindo a fazer e a ser história. Porque os aniversários são sempre um bom pretexto para abrir o baú e procurar histórias que nem sempre lembramos, escolhemos cinco factos que lhe podem ter escapado. Há até umas pista sobre os primeiros passos da Toyota na mobilidade eléctrica em Portugal.
Uma febre de prémios nos anos 80
É impossível não reparar na quantidade de distinções que Salvador Caetano e a empresa que fundou receberam no início dos anos 1980: “Empresário do Ano”, Troféu Expresso, “10 melhores empresas”, “Melhor Gestor” e “Ambiente Empresarial e Paz Social da Empresa”, entre outros.

Estes são importantes por coincidirem com o estabelecimento da Toyota no país, depois de um ligeiro tumulto na produção, influenciado pelo clima político em Portugal, em meados da década de 1970, e revelam uma tendência um acumular de prémios que se mantém desde então.
A Toyota planta árvores
Em 2005, a Toyota deu início a um projeto que tem contribuído para um país mais verde, ano após ano. Seguindo o mote “Um Toyota, uma árvore”, plantamos uma árvore por cada automóvel vendido. No primeiro ano foram 4000, mas, mais de uma década depois, já são cerca de 126.000 as árvores plantadas pela Toyota para ajudar a reflorestar Portugal.

Este é um dos projetos-chave da política ambiental da Toyota, cujas preocupações se refletem também na aposta na mobilidade elétrica em Portugal.
Dos 0 aos 600.000 é um instante
Bastaram 22 anos para que a Toyota atingisse vendas acumuladas de 200.000 unidades em Ovar. Estávamos no ano de 1993 e a festa fez-se, como não podia deixar de ser, na fábrica em Ovar. Em 2000, as vendas acumuladas em Portugal tinham já duplicado para uma total de 400.000 unidades.

Contudo, é em 2007 que a Toyota atinge o valor mais redondo até então: 500.000 unidades. Já em 2018, a Toyota tem mais que motivos para celebrar: até ao momento vendeu um acumulado de mais de 618.000 unidades em Portugal. O futuro, mesmo não sendo possível adivinhá-lo, passará sempre pela aposta na inovação automóvel e no desenvolvimento da mobilidade elétrica em Portugal.
Um híbrido à entrada do milénio
A entrada do milénio trouxe uma novidade ao país: o Toyota Prius. O primeiro modelo híbrido Toyota produzido em série chegou a Portugal no ano 2000, três anos depois de ter sido lançado a nível mundial. Em 2005, seria eleito o Carro Europeu do Ano. Dois anos depois, atingiram-se as 500 unidades vendidas em Portugal.

Ao nível global, em 2007, o acumulado de vendas de modelos híbridos Toyota atinge o 1 milhão de unidades em todo o mundo. Os híbridos tinham chegado para ficar.

Em 2017, em muito impulsionada pelos Prius, a Toyota consolidou a sua posição de liderança na mobilidade elétrica em Portugal: com um aumento significativo na venda de viaturas híbridas (3.797 unidades), que reflete um crescimento de 74,5%, face a 2016.
A primeira a produzir na Europa
A fábrica de Ovar abriu em 1971, tendo sido responsável desde o início pela produção dos modelos Corona, Corolla e Dyana, as primeiras unidades da Toyota algumas vez produzidas em solo europeu. Dois anos bastaram para que a Toyota alcançasse, em 1973, uma quota de mercado de 11,49% em Portugal. As vendas acumuladas, por sua vez, atingiram a marca das 50.000 unidades em 1976.

Com a necessidade de fabricar caixas de carga e contentores, para que os prazos de entrega dos veículos fossem melhorados, a Toyota decidiu construir uma segunda fábrica em Ovar, em 1977, dando início a um processo de automatização que cresceu com a marca. Hoje são cerca de 1500 as pessoas ligadas à Toyota em Portugal, entre dezenas de concessionários, showrooms e oficinas de reparação.

Junte-se à família Toyota: descubra os nossos híbridos.
Faça parte desta revolução na indústria automóvel.