Toyota 50 anos Toyota 50 anos


50
anos,

a Toyota veio para ficar consigo.

Em 1968, Salvador Caetano trouxe para Portugal a Toyota e a vontade de fazer história. E fez. 50 anos depois, fazemos parte das histórias de muitos portugueses.

50 anos a acelerar Portugal

50 anos a acelerar Portugal
Em 2018 comemoramos o 50º aniversário da Toyota em Portugal. Para celebrar esta data, nada melhor do que revisitar a presença da marca nas competições motorizadas. Confira alguns dos palmarés da Toyota ao longo dos anos.
Loucos anos 70: Arrancámos na pole position
A primeira vez que um Toyota entrou numa competição em solo nacional, foi no ano de 1970: um Toyota Corona Mark II 1900, tripulado por Nani. Este carro, de 1968, tinha uns impressionantes 108 cv.
Ao mesmo tempo, a Toyota dava os primeiros passos no mundo do Rali. Em 1972, o sueco Ove Andersson fundou a que viria a ser Toyota Team Europe (TTE). E a primeira vitória internacional foi no Rali dos 1000 Lagos, na Finlândia, em 1975.

Entre 71 e 74, a Toyota Caetano Portugal prestou apoio aos participantes do Campeonato Nacional de Consagrados e Iniciados, e participou com um Toyota Corolla KE20 no Campeonato Nacional de Velocidade, na classe 1300, com a equipa Team Dalva.
Nasceu uma estrela
Depois da “Revolução de Abril”, foi a vez do Starlet – lembra-se daquele “carro jovem para gente jovem”? No final da década, em 1979, o Toyota Starlet 1000 foi a estrela, e entrou no Campeonato Nacional de Ralis.
Década de 80: Corolla e Starlet ganham terreno
Estreada a década de 80, o Toyota Starlet 1000 voltou a participar no Campeonato Nacional de Ralis, sendo que em 1982 foi a vez do “irmão maior” Starlet 1300, que se tornou Campeão e Vice-Campeão Nacional de Velocidade, na categoria B1.
Em 1983, Toyota Starlet 1300 volta a ser Campeão e Vice-Campeão Nacional de Velocidade – nos comandos, Chico Serra, que depois ficou conhecido na Fórmula 1 - e deu-se ainda início ao Troféu Toyota Starlet.
O campeão voltou
Chega 1984 e com ele a estreia do Toyota Corolla GT Twin Cam 16v (com o mítico motor 1.6L 4AGE) no Rali de Portugal. Esta 5ª geração Corolla com tração traseira, ainda hoje recordada pelo seu código de modelo AE86, saiu vitoriosa: Campeão no Grupo A e Grupo N.
Em 1985 arranca a prova Troféu Toyota Starlet iniciados, e surge o Troféu Toyota Corolla, que era a passagem dos vencedores do Troféu Starlet.
No ano seguinte, o Toyota Corolla GTi sagra-se Campeão Nacional de Ralis/Turismos.
Para terminar a década em beleza, em 1989 chega o Toyota Celica GT Four que havia que dar que falar no mundo do Rali.
A nível mundial, a Toyota teve grandes êxitos: participa no lendário 24 Horas de Le Mans de 1985, e em 1987 vence o Campeonato IMSA GT, na América do Norte, com o Celica Turbo.
Década 90: Toyota a todo o gás
Entra-se na década de 90 com o pé direito: o Toyota Celica GT Four é, em 1990, Campeão Mundial de Rali.
Chega 1992 e o Toyota Celica GT Four conquista novamente o título de Campeão Mundial de Rali, e ainda o de Campeão Nacional de Ralis Absoluto.
Já o Corolla GTi, esse vence em Autocross, repetindo o feito em 1993.
O Toyota Carina E não ficou de fora, e venceu o Campeonato Nacional de Velocidade de Super Turismo em 1994, enquanto o Corolla GTi se mantinha vice-campeão Nacional de Autocross.
Em 1995 arranca o Troféu Toyota Carina E, um que viria a ser um dos favoritos dos portugueses.
Em 1996 o Toyota Land Cruiser HDJ 100 vence no Dakar, na categoria diesel produção. Repete a conquista entre 1998 e 2001.
O Land Cruiser foi ainda o 1º Diesel a levar a Taça do Mundo de Todo-o-Terreno em 1998, e sagrou-se Campeão Nacional de TT entre 1998 e 2001.
Em 1999 a Toyota é oficialmente campeã Nacional de Marcas, e o Corolla WRC é campeão Nacional de Ralis.
Milénio novo, vida nova.
Vira o milénio, e vêm novidades: em 2000 arranca a Toyota Yaris Cup, e apresenta-se o projeto Toyota Fórmula 1 -TF.
Dois anos volvidos e dá-se a 1ª época da Toyota na Fórmula 1, e arranca também o projeto Toyota RAV4 Proto.
Ainda em 2002, o Toyota Corolla WRC foi o vencedor do Rali de Portugal, com Didier Auriol e Thierry Barjou como pilotos.

Em 2003 O Toyota Celica T Sport é campeão nacional de velocidade, e cria-se a Taça Toyota Corolla T Sport.
No Dakar de 2005, em que apenas 10 carros terminaram, o Land Cruiser fica nos primeiros 5 lugares na categoria de produção.
Vem 2007 e o Toyota Auris leva a vitória do Troféu Andros, um campeonato Francês.
Supra: Super Híbrido
No mesmo ano, o Toyota Supra Híbrido vence uma prova de 24h de Tokachi, tornando-se o primeiro modelo híbrido no mundo a vencer uma corrida, e recebendo o prémio “Motor de Competição 2007”. O trio de pilotos contava com André Couto.
Na temporada de 2004-2005, João Ramos ao volante do RAV4, ficou em 2º lugar, com o mesmo número de pontos do primeiro, na classificação de Condutores Diesel do Troféu Ibérico de TT.

Em 2009, o mesmo piloto participou, num Toyota Starlet 1.3 de Grupo 2, no Campeonato de Portugal de Clássicos de 1.3, sagrando-se Campeão H81 e Vice-Campeão da geral.
2010-atual: Campeonato Mundial de Endurance
A Toyota, como pioneira na eletrificação do automóvel com o modelo Prius de 1997, procurou um desporto onde pudesse desenvolver esta tecnologia - surge então o projeto de endurance: o Toyota TS030 Hybrid. Equipado com um sistema de propulsão híbrido elétrico, estreou-se no 24 Horas de Le Mans em 2012, e teve a sua primeira vitória em São Paulo no mesmo ano.
Em 2014 vem o sucessor do TS030, o Toyota TS040 Hybrid, que se torna o campeão de marcas do Mundial de Endurance (WEC).
No que toca a Todo-o-Terreno, em 2014, a dupla João Ramos e Vítor Jesus volta ao Campeonato Nacional de TT, estreando a Toyota Hilux Dakar na Baja Portalegre 500. Juntos, alcançam o 4º lugar do Campeonato.
Em 2017, é a revelação do Toyota Yaris: três Yaris WRC terminam no top 10 do Rali de Portugal.
Este ano, a Team Toyota GAZOO Racing levou ao Rali Dakar três Hilux, onde duas acabaram no pódio.

Após a estreia do Yaris WRC em 2017, que incluiu vitórias nos Ralis da Suécia e da Finlândia, bem como um quarto lugar no campeonato de pilotos para Jari-Matti Latvala e terceiro lugar no Campeonato de Marcas, 2018 será a segunda temporada da Toyota no seu objetivo de fazer automóveis cada vez melhores através do Campeonato do Mundo de Ralis.
Mil cavalos e um híbrido
Mas também o compromisso com o WEC se mantém, com a TOYOTA GAZOO Racing, que irá continuar a testar os limites da tecnologia de eletrificação híbrida ao enfrentar o desafiante Campeonato Mundial de Endurance FIA 2018-19 com a mais recente evolução do seu carro de competição: o Toyota TS050 HYBRID, que gera 1.000 cv!
A não perder, são o Campeonato Nacional de Rali entre 17 e 20 de Maio e, claro, a primeira ronda do WEC – 6 Horas de Spa-Francorchamps – na Bélgica, já no dia 5 de Maio.
Não perca as novidades das competições motorizadas da Toyota!