Toyota 50 anos Toyota 50 anos

Histórias
reais

Carlos Lourenco
Carlos Lourenco

PAIxaó de bebe

Tudo começou quando eu nasci em 1975, o meu pai trabalhava na TOYOTA , Transmotor de cabo ruivo, e com a minha chegada a família precisava de um carro, então apareceu uma KE26 batida que foi a eleição visto que tinha muio espaco interior, a carrinha veio para nossa casa , onde tinha mos uma pequena oficina sem as rodas da frente, como consegui-o chegar não sei. sei que foi reparada e passou a ser o nosso fiel carro ate 1997. entretanto eu como todas as crianças gostava de ir chatear para a oficina, e o meu pai agarrava em mim, na altura com 3 anos e colocava-me dentro de um TA22 que estava la esquecido pelo dono,para eu não os atrapalhar. apartir dai comecei a ficar apaixonado pelo Celica e dizia que um dia ia ter um, claro que ninguém ligava ao que eu dizia. Anos mais tarde em 97 quando comecei a trabalhar com os meus primeiros ordenados comprei um célica um AT 160, mas não foi para mim, na altura o meu pai queria desfazer-se da Corolla e eu fiz a troca pelo célica pois a carrinha era como uma parte de mim, cheia de boas recordações dos meus antepassados. ainda hoje ela esta comigo , mas mais musculada e a fazer ver a muitos em algumas provas de clássicos. so em 2000 é que consegui achar um TA22 para os lados de Santarem e foi amor a primeira vista , trouxe o para casa , logo o amor se transformou em pesadelo , pois estava todo podre, foram 5 longos anos de restauro profundo para ficar em estado de concurso. Mas em 2009 e por causa da minha paixao pelas corridas resolvi voltar a desmonta lo para fazer uma replica dos carros de velocidade, e esta quase pronto para aparecer nas pistas nacionais. Entretanto e por paixao pela TOYOTA corro Em Clássicos com o Único Starlet KP60 em provas nacionais (e se calhar na europa)com um motor 2K de 1.000CC. O meu carro do dia a dia é uma Toyota Corona RT106 de 1977 . por isso os clássicos estão me no sangue e aToyota também. Pode se dizer que já tenho um MICRO museu da marca na minha garagem.
Histórias Reais
Histórias Reais
Histórias Reais